A água ocupa aproximadamente 70% da superfície do nosso planeta. No entanto, de toda a água disponível, apenas 0,3% dela é doce e pode ser utilizada para consumo — que é um dos tipos de usos da água. Estamos falando da água de rios, lagos e aquíferos, por exemplo

O consumo de água é muito variável ao redor do mundo. Além da disponibilidade do local, o consumo médio desse recurso está associado ao nível de desenvolvimento do país e ao nível de renda da população.

De modo geral, o Brasil é um país privilegiado quanto ao volume de água, pois abriga 13,7% da água doce do mundo, incluindo as superficiais e as subterrâneas. Estima-se, no entanto, que cerca de 60% da água tratada para o consumo seja perdida na distribuição, além do desperdício de água no consumo nas residências e da poluição do recurso hídrico.

Tendo em vista as diversas finalidades da utilização desse recurso, apresentamos aqui os 7 principais usos da água. Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

1. Usos potáveis

A água para usos potáveis é aquela utilizada no consumo humano. `É essa água que vai suprir as necessidades da população para hidratação, preparo de alimentos, higiene pessoal e limpeza da habitação no seu dia a dia.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA), para que a água seja adequada para o consumo humano, deve apresentar características microbiológicas, físicas, químicas e radioativas que atendam a um padrão de potabilidade estabelecido. 

Antes de ser consumida, ela deve passar por estações de tratamento de água, onde são realizados processos de desinfecção para garantir seu consumo sem riscos à saúde. 

2. Usos urbanos

Os usos urbanos vão além dos usos domésticos da água que vimos acima. As cidades consomem água de diversas formas, como em combate a incêndios, sistemas de refrigeração e ar-condicionado, limpeza de veículos, de vias e de prédios, entre outros. 

3. Irrigação na agricultura

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a produção agrícola é responsável pelo uso de 70% dos recursos hídricos. Além do alto consumo e desperdício, a agricultura também afeta a qualidade da água e dos solos devido ao uso indiscriminado de agrotóxicos e fertilizantes, colocando em risco os mananciais.

Ainda segundo a FAO, se bem planejada e executada, a irrigação possibilita o aumento da produção e da eficiência no uso da água, tanto em quantidade quanto em qualidade e regularidade. Além disso, gera a diversidade de culturas, contribuindo significativamente para o fomento da produção agrícola e, consequentemente, no próprio PIB do país.

4. Usos industriais

Depois do setor agrícola, as atividades industriais são as que mais utilizam o recurso: são responsáveis por 22% do consumo total de água. O uso nos processos industriais vai desde a incorporação da água nos produtos, como matéria-prima, até a geração de energia e a limpeza e o resfriamento de equipamentos e instalações.

5. Geração de energia

Outra forma bastante utilizada das águas é para geração de energia elétrica por meio das hidrelétricas. No Brasil, a água é a principal fonte de geração de energia, o que corresponde a cerca de 90% de toda a produção. Isso representa uma grande vantagem, já que se trata de uma fonte limpa de energia, ao contrário dos combustíveis derivados do petróleo e do carvão, por exemplo.

Para o seu funcionamento, os rios são represados e a força da queda d’água movimenta as turbinas, gerando eletricidade. É importante ressaltar que, apesar de gerarem energia limpa, as hidrelétricas podem causar grande impacto ambiental nas regiões onde são instaladas, por isso é necessário adotar critérios de construção e localização para minimizar as consequências. 

6. Finalidades ambientais

A água pode ser empregada também para fins ambientais, como a aplicação em terras alagadas, que são áreas permanente ou periodicamente inundadas por água. Em geral, esses terrenos abrigam uma grande e rica diversidade de ecossistemas, com praias de areia, recifes de coral, nascentes de água doce e prados que dependem do ambiente inundado para subsistir.

Outro uso ambiental importante diz respeito à recarga de mananciais para aumento de vazão em cursos de água. Essa técnica consiste na reposição de águas de rios e aquíferos.

Esse é um processo que costuma ocorrer naturalmente através das chuvas que permeiam os solos e abastecem lençóis freáticos e nascentes de rios. No entanto, em regiões mais secas existem procedimentos artificiais que são empregados nesse processo com a finalidade de recuperar os níveis d’água.

7. Recreação

Por último, mas não menos importante, a água também é utilizada como forma de recreação. De modo geral, as práticas de recreação se resumem em esportes, pesca, lazer e turismo. Clubes, piscinas, lagos artificiais e atividades pesqueiras são alguns dos principais exemplos desse uso.

Cabe ressaltar que todas as atividades citadas dependem essencialmente da qualidade da água. Por esse motivo, é necessário assegurar a proteção ambiental dos cursos d’água, de represas e mares, evitando, sobretudo, a poluição. Todavia, muitas das atividades recreativas também podem prejudicar a qualidade do recurso e o meio ambiente, colocando em risco a segurança da água e de seu ecossistema. 

Conhecer algumas curiosidades da água e os tipos de utilização que podemos fazer com ela pode ser muito importante para um consumo consciente. Saber que a água, apesar de renovável, é um recurso finito e que deve ser aproveitado adequadamente é imprescindível para a gestão eficiente desse recurso.

É importante ressaltar que a escassez de água em quantidade e qualidade para uso em determinadas regiões brasileiras é um grande problema. É necessário, portanto, haver uma melhor gestão e um planejamento do uso adequado e sustentável dos recursos. Além disso, a gestão da água estabelece um equilíbrio entre as necessidades de sua proteção e as exigências de ordem econômica, sanitária e social.

Agora que você já sabe os seus principais usos, que tal conhecer as etapas do processo de tratamento da água? Leia o nosso artigo e fique por dentro do assunto!