A transmissão do coronavírus e a velocidade com que a Covid-19 se espalha faz com que as pessoas se preocupem bastante em relação às boas práticas de higiene e, principalmente, com a mudança de hábitos — necessária para ajudar a conter a pandemia.

Para que você entenda melhor o que é esse vírus e a doença, elaboramos este artigo com informações importantes e que precisam ser de conhecimento geral. Continue conosco para ficar ainda mais por dentro do assunto!

O que é o coronavírus?

O coronavírus é uma família de vírus, que são responsáveis por infecções respiratórias no indivíduo portador. Sua descoberta é datada em 1937, mas foi apenas em 1965 que a doença foi nomeada — por ter seu perfil de microscopia muito parecido com uma coroa.

Recentemente, foi descoberto um novo agente dessa família, o SARS-CoV-2 (nome científico do novo coronavírus), responsável pelo desenvolvimento da Covid-19, nome da doença causada por ele. Registrada pela primeira vez na China, na cidade de Wuhan, ela causa sintomas como febre, tosse, dor de garganta e dificuldades respiratórias (nos casos mais graves).

Como o coronavírus é transmitido?

Apesar de as formas de transmissão ainda serem amplamente estudadas pela comunidade científica, já sabe-se que a disseminação da doença ocorre de pessoa para pessoa, seja por meio de contato físico, seja por troca de secreções, sendo elas:

  • tosse;
  • espirro;
  • saliva;
  • aperto de mão ou toque;
  • contato com objetos já contaminados (quando posteriormente, a pessoa leva as mãos ao rosto, especialmente boca, nariz e olhos).

Além disso, o vírus pode sobreviver no ar por até três horas — fazendo com que um espirro ou tosse que disfira o vírus no ambiente possa contaminar qualquer pessoa que acessar aquele local — e até dias em determinadas superfícies, como plástico e aço inoxidável.

Qual é a relação entre água e coronavírus?

Não há nenhuma forma de transmissão do coronavírus pela água potável. Isso porque os métodos tradicionais de tratamento — que incluem filtragem e desinfecção — utilizados pelas empresas responsáveis pelo sistema de abastecimento de água dos municípios removem ou inativam o vírus causador da Covid-19.

Sendo assim, os serviços públicos desse setor mantiveram suas operações, ainda que com equipes reduzidas nas ruas, garantindo o abastecimento da população e adotando todas as medidas cabíveis para evitar a transmissão da doença entre os funcionários e clientes.

Dentro de casa, a água é a grande responsável por garantir a higienização adequada das pessoas, dos objetos e do ambiente. No entanto, é fundamental promover a economia de água por meio do consumo consciente, usando somente o necessário, sem desperdiçar.

Sobre as redes de esgoto

De acordo com recente pesquisa de cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o novo coronavírus poder ser encontrado no esgoto. Apesar disso, o fato não significa que ele possa ser transmitido pelo esgoto, mas é um indicativo do elevado espalhamento do causador da Covid-19 na população.

Desse modo, essas análises do esgoto podem ser usadas no monitoramento do nível de contaminação da população. Isso ocorre porque, para conseguir identificar o material genético do vírus nesse meio, é necessário que exista uma contaminação expressiva na população.

No entanto, apesar de não haver indícios de que o coronavírus seja transmitido pelo esgoto, a Organização Mundial da Saúde indica que locais sem acesso a saneamento básico adequado precisam de atenção extra, já que tendem a ter mais dificuldade para combater o vírus. É preciso redobrar os cuidados especialmente naqueles locais que não têm acesso à água tratada para beber e realizar a higienização pessoal e do ambiente adequadas.

Com a presença das pessoas passando todo o tempo em casa durante o isolamento social da quarentena, também é preciso redobrar os cuidados com o descarte de alimentos e dos lixos de banheiro, especialmente. Ambos devem ser destinados ao lixo orgânico, e jamais aos ralos das pias e ao vaso sanitário.

Para evitar transtornos com transbordamento de esgoto, é fundamental que as famílias descartem papel higiênico, absorventes, fraldas, fio dental, cotonetes e outros itens na lixeira do banheiro. Quando descem por ralos ou pela descarga, esses e outros itens que chegam indevidamente às redes de esgoto são responsáveis por entupimentos e vazamentos de esgoto que implicam riscos à saúde e ao bem-estar de todos.

Como os hábitos de higiene evitam o coronavírus?

O Ministério da Saúde tem orientado sobre os cuidados básicos que devem ser tomados para reduzir os riscos de contágio e transmissão de doenças respiratórias agudas, como a causada pelo novo coronavírus. Essas medidas incluem:

  • lavar frequentemente as mãos com água e sabão por, no mínimo, 20 segundos. Em último caso, quando não tiver acesso à água é sabão,utilize álcool em gel 70% para higienizar as mãos;
  • evitar contato com os olhos, boca e nariz sem antes lavar as mãos;
  • evitar proximidade com pessoas doentes ou com sintomas da doença;
  • manter-se em casa para evitar o contágio (tanto ser contaminado quanto contaminar os outros caso esteja doente sem apresentar sintomas);
  • cobrir nariz e boca com o antebraço ou utilizar lenços de papel (descartando-os adequadamente logo em seguida) quando for tossir ou espirrar;
  • higienizar bem os alimentos adquiridos, principalmente os de hortifrúti, já que eles podem ter sido tocados por uma pessoa infectada, além das embalagens plásticas;
  • manter os ambientes sempre limpos, arejados e desinfetados, além dos objetos e superfícies que são tocados com frequência.

Como cuidar da saúde mental em tempos de isolamento?

Para conter a pandemia, governos do mundo todo têm buscado adotar medidas mais radicais na tentativa de frear o contágio, sendo que a principal é o isolamento social. Porém, essa estratégia, apesar de necessária para conter a transmissão do cornavírus, gera consequências para a economia, trazendo inúmeras dificuldades, principalmente para pequenas e médias empresas.

Mas não é só a parte econômica que é impactada pelo isolamento. A situação também tem influenciado na saúde mental das pessoas, contribuindo para o aumento de casos de ansiedade, por exemplo. Muitos sofrem com a incerteza de como serão os próximos meses, seja no mercado de trabalho, seja em outros âmbitos.

Nessa hora, o ideal é buscar alternativas para reduzir os níveis de estresse, de forma a manter o controle emocional durante a pandemia. Vamos conhecer algumas delas?

Aposte na tecnologia

A tecnologia é uma das maiores aliadas nesse momento de isolamento e pode ter um papel fundamental no que diz respeito ao equilíbrio emocional. Algumas ferramentas de entretenimento, como as redes sociais, são uma excelente opção para manter o contato com amigos e familiares que estão distantes.

Alguns programas e aplicativos permitem a realização de chamadas de vídeo, que proporcionam um contato mais “próximo” com as pessoas, diminuindo os impactos que a distância provoca.

Existem também os serviços de stream, que têm em seus catálogos inúmeros filmes e séries, e programas que disponibilizam acervos de livros e jogos voltados para todas as idades.

Estabeleça horários e se informe em canais confiáveis

Notícias ruins podem gerar picos de ansiedade cada vez mais constantes. Por isso, o ideal é evitar acesso a essas informações por grande parte do dia, limitando determinado período do dia para se atualizar sobre o assunto.

Outra dica é procurar seguir apenas canais que têm credibilidade no assunto, pois assim você terá acesso a informações relevantes e mais acuradas sobre o assunto, evitando cair nas famosas “fake news”.

Crie uma rotina

Caso você esteja trabalhando no modelo home office, mas ainda não se adaptou a esse novo tipo de trabalho, pode passar por algumas dificuldades em relação à sua rotina. As principais delas são a procrastinação e um certo aperto para conciliar com as atividades de casa.

Porém, algumas medidas simples podem ser tomadas para ajudar nessa adaptação, como:

  • estabelecer um horário para acordar e o tempo certo para a sua jornada de trabalho;
  • caprichar no café da manhã — lembre-se de que é uma das refeições mais importantes do dia;
  • evitar trabalhar de pijama ou da cama, ainda que não seja necessário se vestir como se estivesse na empresa;
  • fazer as pausas pontuais para alimentação, como almoço e lanches durante o dia;
  • reservar um tempo para realizar exercícios físicos ou outras atividades alternativas, evitando o estresse gerado pela sobrecarga do trabalho.

Dedique-se a atividades prazerosas

Aproveite a quarentena para fazer algumas das coisas que você sempre teve vontade, mas não tinha tempo — desde que seja dentro de casa, ok?

Invista em hobbies que façam você feliz e, quando estiver ocioso, use o tempo para aprender coisas novas, como pintar, cozinhar, tocar algum instrumento ou até mesmo fazer aquele curso online que você nunca pôde se dedicar.

Além de adquirir conhecimento e se distrair com uma atividade que deixa você feliz e satisfeito, você reduz o nível de estresse causado pelo tédio ou pela ansiedade por estar confinado dentro de casa e, de quebra, terá mais opções de lazer quando essa fase da pandemia passar.

Tomar os cuidados recomendados é fundamental para diminuir a velocidade da transmissão do coronavírus e evitar que todos fiquem doentes ao mesmo tempo, o que leva à sobrecarga do sistema de saúde e prejudica os atendimentos. Portanto, lave bem as mãos e, se puder, fique em casa.

Gostou do artigo? Então, aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais para que mais pessoas se mantenham informadas!