Quem deseja mudar o modo de viver e ajudar o meio ambiente precisa pensar na forma correta de fazer o descarte de alimentos. A forma mais comum, a que mistura os vários tipos de resíduos, além de dificultar a reciclagem, pode ocasionar mau cheiro e até atrair insetos e roedores para dentro da sua casa.

Para evitar que isso aconteça e, ainda, conseguir transformar seu lixo em um produto de valor, você verá neste texto quais são os principais problemas que o descarte incorreto dos alimentos proporcionam. Além disso, entenderá o que pode ser feito com os resíduos orgânicos.

Quer deixar sua cozinha um pouco mais verde? Então, veja o que pode ser feito. Boa leitura!

Quais são os principais problemas do descarte incorreto de alimentos?

Além de prejudicar o bem-estar da sua própria residência e até do seu bairro ou condomínio, descartar os alimentos incorretamente ajuda na produção de mais lixo. Confira agora!

Atração de animais

Quando o descarte de alimentos é realizado de forma incorreta, tais materiais podem acabar chegando nas redes de drenagem de águas da chuva ou esgoto, causando entupimentos ou até mesmo provocando a contaminação das águas. Além disso, descartar lixo orgânico nas ruas traz diversos problemas para a comunidade e até mesmo para as próprias casas e comércios que fazem a destinação incorreta.

Além de deixar um mau cheiro nas proximidades, os rejeitos atraem animais como moscas, baratas e ratos. Com isso, mais problemas podem ser gerados, uma vez que esses animais servem de alimentos para animais peçonhentos como escorpiões e cobras.

Isso traz diversos riscos para a população. Os rejeitos dos ratos, por exemplo, podem causar leishmaniose. Já as picadas de escorpião e cobra podem levar até mesmo à morte (principalmente no caso de crianças e idosos).

Aumento do lixo

A produção de lixo é um problema mundial em que toda a população deve se envolver. Quanto maior é a produção, mais lugares precisarão ser destinados para abrigá-los.

No caso dos lixões, o problema é ainda maior, já que não há nenhum tratamento para os rejeitos e qualquer proteção para o solo onde eles estão depositados. No Brasil, 60% das prefeituras não conseguirão atingir as metas especificadas para que não houvessem mais lixões no prazo estipulado.

Ainda é comum ver que várias pessoas e empresas também jogam o lixo em rios, o que polui a natureza, dificulta a vida dos animais e aumenta as chances de enchentes.

O que fazer com a sobra dos alimentos?

Agora que você sabe quais são os problemas do descarte incorreto, veja o que pode ser feito para mudar esse quadro.

Reaproveitar

Os números impressionam: 40 quilos de comida são desperdiçados por ano por cada pessoa. Caso o desperdício não existisse, 13 milhões de pessoas poderiam ser alimentadas. Considerando que quase 15 milhões de cidadãos vivem em extrema pobreza no país, a realidade de muita gente poderia ser transformada.

Entretanto, mudar o quadro é difícil quando as pessoas vivem em um ambiente de fartura. Frases como “melhor sobrar do que faltar” e até mesmo um passado difícil fazem com que as pessoas apostem em comprar mais do que necessitam. Com isso, muita comida acaba indo para o lixo.

Para mudar esse quadro, é necessário mudar tal cultura. O que sobrar pode ser congelado ou reaproveitado na próxima alimentação. Na maioria dos casos em que o alimento vai para o lixo, ele poderia ser aproveitado.

Compostagem de resíduos

Tudo bem, mas e se o alimento não puder mais ser aproveitado para o consumo humano? Nesse caso, uma das melhores possibilidades é a compostagem. Com ela, é possível gerar valor para aqueles itens que seriam jogados no lixo.

A compostagem pode ser feita tanto nas casas (aproveitando os restos dos próprios moradores) ou em escala industrial, para a criação de fertilizante orgânico. Já existem várias empresas que viram na compostagem uma forma de gerenciar o resíduo orgânico produzido para lucrar a partir da venda para instituições que produzem fertilizantes. 

Como fazer o descarte de alimentos de maneira correta?

Tanto em casa quanto em um restaurante, é possível pensar diferente.

Em casa

É comum que as pessoas descartem as cascas. Entretanto, há inúmeras receitas que as aproveitam, uma vez que são fonte de fibras e diversos nutrientes importantes. No caso de ainda existir sobras, elas podem ser utilizadas para compostagem.

O óleo vegetal, por outro lado, pode ser reciclado – basta armazená-lo em uma garrafa pet e levá-lo até um ponto de coleta. Por fim, o restante dos resíduos orgânicos pode ser usado como adubo para as plantas.

Em restaurantes

De acordo com as leis ambientais, os resíduos que têm alguma relevância ambiental não devem ser descartados com o lixo comum. Ou seja, os restaurantes devem separar tudo que pode ser reciclado do que deve ser encaminhado aos aterros.

Para que a separação correta seja feita, a dificuldade está em separar o orgânico dos papéis e embalagens, já que cada tipo deve ter um tratamento diferente. O mais recomendável é que a instituição tenha um parceiro capaz de fazer todo esse trabalho.

Com a utilização de empresas especializadas, os resultados podem ser melhores, já que elas conseguem instalar os acessórios e equipamentos necessários para separar o material, bem como coletar e encaminhá-los para receber o tratamento mais adequado. Muitas vezes, o próprio restaurante pode realizar essas funções.

Alguns materiais, como gorduras e óleos devem ser enviados para empresas que são especializadas na reciclagem desses elementos. Normalmente, após o envio, elas deixam um comprovante que deverá ser apresentado às instituições de fiscalização quem visitam o restaurante.

Vale lembrar que, de acordo com as leis sanitárias, o lixo não pode ser armazenado no mesmo local em que os alimentos são preparados, mesmo que temporariamente.

Para conseguir melhores resultados quanto ao descarte do lixo, é fundamental pensar diferente. Para começar, compre apenas o que for necessário e aproveite tudo o que der. Dessa forma, a geração de lixo será menor.

Tente aproveitar o máximo possível dos alimentos, incluindo cascas e sementes. Se ainda não conseguir, utilize para fazer adubos e compostagens. Para o restante, faça a separação correta e envie à coleta seletiva ou empresa responsável. Assim, a sustentabilidade de todo o ciclo e do meio ambiente será garantida com o descarte de alimentos for feito da forma adequada.

Quer saber como saúde e saneamento estão interligados? Então, veja agora 4 exemplos disso. Esperamos por você!