Os mananciais de água são fundamentais para que possamos ter uma boa qualidade de vida. Por meio deles, conseguimos água para beber e utilizar nas nossas principais atividades diárias. Por servirem como fontes de água doce no Brasil, precisam ser preservados.

No entanto, muitos deles se tornam poluídos em função de despejos de esgotos sem o devido tratamento, gerados pelas atividades humanas. A falta de investimentos em saneamento básico colocou o Brasil em uma situação crítica com relação a este tema, com mais da metade do esgoto gerado pela população sem tratamento.

Além do mau cheiro e da coloração cinzenta ou marrom escura das águas, a contaminação dos mananciais com esgoto causa vários problemas para a população e para o meio ambiente.

Quer saber mais sobre esse assunto? Continue lendo o post!

Por que o despejo de esgoto sem tratamento nos rios é um problema?

O esgoto doméstico é composto por água (99,9%) e sólidos (0,1%). Esses rejeitos sólidos são, em sua maioria, constituídos por matéria orgânica em decomposição, originada de fezes e de atividades humanas em pias, tanques, máquinas de lavar, chuveiros entre outros. Quando despejado nos rios sem tratamento, ele altera a composição natural daquele ecossistema, trazendo danos para os seres humanos que ali vivem, a fauna e a flora aquática.

Saúde pública

De acordo com o Instituto Trata Brasil, 35 milhões de pessoas não têm abastecimento de água potável em suas casas. Em muitos desses casos, a água é coletada e consumida diretamente dos rios, cujas águas podem estar contaminadas pelo descarte incorreto do lixo e pelo esgoto sem tratamento das cidades, por exemplo.

Essa falta de saneamento facilita a propagação de doenças, principalmente entre crianças e idosos, que apresentam uma saúde mais fragilizada. Para você ter uma ideia, segundo relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), quase 1,5 milhão de crianças morrem anualmente em decorrência de diarreia em todo o mundo. E 88% dessas mortes poderiam ser evitadas com coleta e tratamento de esgoto e acesso à água tratada.

Outras doenças que podem ser causadas pela contaminação da água por esgoto são infecções bacterianas, febre tifoide, cólera, leptospirose e hepatite A. Além do impacto na saúde e bem estar das pessoas, elas custam muito dinheiro ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Dados do Trata Brasil mostram que o custo por paciente em internações por infecções gastrointestinais é de cerca de R$355,71. Isso sem calcular o impacto no dia a dia dessas pessoas, que faltam a compromissos de trabalho ou estudo, comprometendo a produtividade e a renda. Investir em saneamento é investir na qualidade de vida da população e economizar na saúde: cada 1 real aplicado no setor significa 4 reais a menos em despesas na área da saúde.

Meio ambiente

Ao chegar nos rios, o esgoto altera toda a composição química da água, impactando diretamente a vida aquática. Isso acontece porque o acúmulo de matéria orgânica propicia o surgimento de micro-organismos que diminuem a quantidade de oxigênio na água, comprometendo diretamente a vida aquática e a qualidade dessa água.

Além disso, os nutrientes presentes no esgoto, com destaque para nitrogênio e fósforo, podem provocar a eutrofização, que é um processo de proliferação de algas que se acumulam na superfície do rio.

Dessa forma, a luz solar não consegue penetrar e as plantas presentes no rio não conseguem realizar a fotossíntese, diminuindo a concentração de oxigênio. Assim, os animais acabam morrendo e a quantidade de micro-organismos aumenta, alterando todo o ecossistema.

Outras substâncias altamente poluentes e perigosas para a nossa saúde são os metais pesados, como mercúrio, chumbo e cobre, e os organoclorados encontrados em pesticidas e alguns agrotóxicos. Esses elementos, assim como derivados de plásticos, como o composto Bisfenol A, acumulam-se nos animais que, quando consumidos, podem causar problemas no sistema nervoso e imunológico dos seres humanos .

Economia

O tratamento de esgoto é um importante parâmetro de desenvolvimento de uma nação. Além dos impactos descritos acima, o serviço pode influenciar no progresso escolar de crianças e adolescentes, na produtividade no trabalho, na renda familiar e nos índices de desemprego.

A expansão do sistema de coleta e tratamento de esgoto, além de trazer benefícios diretos para a população, também estimula o setor da construção civil, através da geração de emprego e renda. Estima-se que as obras de saneamento realizadas entre 2004 e 2016 no Brasil foram responsáveis por cerca de 69 mil empregos diretos.

Além disso, neste mesmo período, calculou-se que a cada R$ 1 investido em obras de saneamento, foi gerada uma renda de R$ 1,22 na economia, mostrando que os benefícios são sentidos por toda a cadeia produtiva, em setores como indústrias de materiais de construção, fornecedores de equipamentos e tecnologias, entre outros, segundo estudo publicado pelo Trata Brasil.

Isso significa que a universalização dos serviços de água e esgoto pode proporcionar ganhos econômicos e sociais de até R$ 1,125 trilhão em 20 anos. Isso é muito superior ao custo para levar saneamento para todos, estimado em R$443,5 milhões.

Como seria o cenário ideal?

O cenário ideal é a universalização do sistema de esgotamento sanitário para toda a população. Isso inclui a disponibilização, por parte dos municípios, de sistemas de coleta e afastamento de esgoto para todos os usuários e estações de tratamento capazes de receber todo o esgoto coletado, tratando-o de forma eficiente, de acordo com os padrões exigidos pela legislação.

Se você mora em um local em que não há coleta de esgoto, é possível adotar algumas soluções individuais de tratamento, como fossas sépticas e sumidouros. Apesar de serem soluções paliativas, pois o tratamento não é completo como em uma estação de tratamento de esgotos, elas evitam que o esgoto seja lançado diretamente nos rios.

Além disso, é preciso acompanhar o trabalho dos representantes da população e conhecer o plano de saneamento da sua cidade. Investimentos na área são mais que necessário, e os recursos para investir no setor podem ser municipais, federais ou privados, por meio de parcerias ou concessões.

No caso de haver um sistema de esgotamento sanitário à disposição, você pode colaborar para a sua plena funcionalidade evitando descartes irregulares de lixo nas redes de esgoto, tais como objetos sólidos e gordura, que podem entupir a tubulação.

Viu como o despejo irregular de esgoto pode trazer problemas para os rios e as cidades e afetar diretamente a sua qualidade de vida? Esperamos que nosso conteúdo tenha esclarecido as suas dúvidas sobre esse assunto.

Lembre-se de que você pode contribuir ativamente para a melhoria do sistema de saneamento básico. A sua saúde e da sua família, assim como o meio ambiente, podem ser impactados por pequenas ações. Faça a sua parte!

Gostou do nosso post? Que tal compartilhá-lo nas suas redes sociais? Dessa forma, mais pessoas ficam bem informadas em relação a esse assunto tão importante!

——

Este texto foi redigido com base na entrevista realizada com Pedro Henrique Gobbo, Coordenador de Operações na BRK Ambiental.